Newsletter

É necessário que as empresas amadureçam o conceito de Gestão de Saúde Populacional – Entrevista: Lasse Koivisto, Mahiti Godoy e Wang Sen Feng

15 de dezembro de 2017

Quais as principais dificuldades para as empresas obterem resultados em Gestão de Saúde Populacional?

As ações de saúde, quando realizadas, na maioria das vezes ainda são superficiais e focadas em um volume pequeno de pessoas. Além disso, acreditamos que muitas dessas ações são criadas sem uma forma clara de mensuração de resultados ou mesmo sem que a empresa saiba se são realmente necessárias e eficazes no contexto. É importante que as empresas amadureçam o conceito de Gestão de Saúde, entendam o quanto a saúde de seus colaboradores interfere no dia a dia, na produtividade e no absenteísmo, bem como o quanto o ambiente de trabalho interfere no dia a dia dos colaboradores. Não é uma questão de apenas fornecer a possibilidade do benefício saúde, é necessário manter um ambiente de trabalho saudável, cumprir cargas horárias cabíveis etc.

Entendemos que um dos objetivos da ASAP é disseminar o conceito de Gestão de Saúde Populacional para o mundo corporativo, bem como conglomerar os players do setor para auxiliar, integrar e interagir com as empresas, principais contratantes dos planos empresariais. Da mesma forma, é importante que autarquias como o INSS possam entender os ambientes e formatações de trabalho, bonificando ou penalizando instituições por atitudes ou por falta delas, pois, infelizmente, muitas vezes “acordamos” para algo importante apenas quando há mobilizações financeiras envolvidas.

Como as empresas, financiadoras da saúde suplementar no país, poderiam apoiar na mudança do modelo atual, centrado na doença, para um modelo focado no cuidado com a saúde?

Em nossa visão, isso não é um “movimento” exclusivo das empresas, e sim de todos os atores envolvidos, desde usuários, corporações, operadoras, governo, órgãos reguladores etc. Exatamente por ser um movimento conjunto, cada um possui seu papel, mas as organizações corporativas podem passar a participar melhor do tema, inicialmente colocando-o de forma expressiva em seu dia a dia. É importante que os gestores de Recursos Humanos e a diretoria enxerguem a importância do ambiente de trabalho saudável, do estímulo à atividade física, da alimentação e sono adequados e do impacto disso na produtividade e no absenteísmo. As interações entre os players de saúde e as empresas têm sido cada vez maiores e melhores, o que auxilia para os avanços na gestão de saúde. Atualmente estamos presenciando o movimento das instituições hospitalares para execução de gestão de saúde, e não apenas como local de doença, porém precisamos ampliar as discussões para maior atuação do próprio usuário de saúde, de forma orientada, consciente e correta.

Como implementar estratégias para conseguir a adesão dos colaboradores para o cuidado com a saúde, tendo como proposta a Gestão de Saúde Populacional?  

Entendemos que esse é um processo evolutivo, o qual atualmente as corporações deveriam focar. É importante dispor de um ambiente corporativo saudável e analisar os motivos de absenteísmo para entender se há processos internos a serem melhorados. Tipicamente os problemas dos colaboradores sempre estarão relacionados aos problemas de gestão, como  a falta de um ambiente colaborativo, de metas claras para que as pessoas possam ser avaliadas e de feedback. É muito importante colocar esse assunto em pautas de diretoria e a empresa estar aberta aos demais players de saúde nas análises e soluções conjuntas, onde cada um consiga realmente efetuar seu papel e seja cobrado por isso.