Notícias

Fórum Nacional de Saúde Corporativa: a importância do debate para as empresas desenvolverem uma visão sustentável e inovadora na área

25 de julho de 2018

concept of team and reliability: a team of students standing in

Canal de diálogo sempre aberto e transparência nas relações são levantados como duas das principais contribuições desse espaço de discussão sobre os mais importantes temas relacionados à saúde no Brasil

Apoiar boas práticas e ajudar a construir diretrizes para o tema saúde nas empresas brasileiras são duas das principais frentes de trabalho da Aliança para a Saúde Populacional – ASAP. Criada em setembro de 2012 por um grupo de grandes empregadores, ao longo dessa trajetória a Aliança já apresentou contribuições fundamentais para esse debate. Uma delas foi a divulgação da pesquisa “Práticas de Gestão de Saúde Corporativa”, que apresentou um retrato da saúde corporativa no país, e a criação do Fórum Nacional de Saúde Corporativa, que reúne mais de uma dezena de grandes empresas para traçar o futuro da saúde corporativa no Brasil, baseadas em uma visão inovadora e sustentável. Ambas as iniciativas contaram com a parceria da ABRH Brasil – Associação Brasileira de Recursos Humanos, para a organização e condução dos trabalhos.

Para que esse espaço de troca de experiências cumpra sua função de colocar em contato os diferentes atores do setor saúde, tão importante quanto discutir e apresentar propostas é ouvir o que as empresas têm a dizer sobre gestão em saúde e sobre a atuação da ASAP na promoção desse diálogo. Leonardo Marinelli, CEO Manager de Compensação e Benefícios (América Latina) da Clariant – uma das maiores empresas de produtos químicos do mundo – destaca a constante oferta de recursos para tratar os assuntos mais prementes, além da preocupação em esclarecer conceitos e o estímulo para que as empresas consigam vencer seus desafios. Esforços que, em sua visão, encontram no Fórum Nacional de Saúde Corporativa uma de suas melhores traduções. “A ASAP vem ajudando bastante na questão da organização para manter esse grupo atuante”, avalia. “E consegue coordenar isso de uma maneira muito assertiva. Vejo esse parâmetro organizacional como muito importante, porque senão esses grupos morrem”.

Problemas parecidos, oportunidades diferentes

Trazer diferentes insights a cada encontro e, sobretudo, abrir espaço para ouvir as empresas são outros pontos levantados por Marinelli. “A gente sempre tem um exemplo, algum modelo, alguma coisa em pauta. E é interessante como a ASAP consegue tocar no aspecto conceitual das questões, balizando as opiniões sempre com o apoio de profissionais muito capacitados”.

Essa troca de experiências é imprescindível que os agentes consigam ter parâmetros de boas práticas e cases de sucesso, a fim de que os melhores exemplos possam ser replicados, com as devidas adaptações, em diferentes cenários. “Os problemas são muito parecidos e as oportunidades são diferente diversificadas. Resolver os problemas por completo é difícil. O que eu vejo é que a ASAP consegue coordenar isso de maneira que permite aos players capturar esses pontos e pensar a longo prazo”.