Newsletter

Pela prevenção e promoção da saúde em todas as fases da vida – Entrevista: Ricardo Ramos – Funcional Health Management

12 de dezembro de 2017

Quais as principais dificuldades para as empresas obterem resultados em Gestão de Saúde Populacional?
São muitos os desafios da área de Recursos Humanos de uma empresa. A Gestão de Saúde Populacional é um tema que vai além da Medicina Ocupacional ou da Gestão do Plano de Saúde que, por si só, impõem desafios enormes aos gestores. No entanto, somente com a Gestão de Saúde as empresas conseguirão de fato uma população mais saudável, com consequente ganho de produtividade, baixa no indicador de turnover, retenção de talentos e sustentabilidade dos benefícios no longo prazo ou até a sua melhora ou ampliação. Eu acredito que a principal dificuldade é o RH conhecer a sua população, mantendo uma operação integrada no ambiente da gestão do plano de saúde e ocupacional, para conseguir posteriormente evoluir para a Gestão de Saúde Populacional.

Como as empresas, financiadoras da saúde suplementar no país, poderiam apoiar na mudança do modelo atual, centrado na doença, para um modelo focado no cuidado com a saúde?
Apesar do custo com a saúde sempre ter sido impactante no orçamento de Recursos Humanos, nos últimos anos assistimos a uma inflação médica bem acima da inflação média da economia, o que colocou o assunto ainda mais em evidência dentro das corporações, a ponto de algumas projeções tenderem para a inviabilidade de financiamento por parte de algumas empresas. Estas não podem mais “assistir” ao uso desordenado do seu plano de saúde, a pacientes crônicos desassistidos, a uma medicina ocupacional que somente cumpre a legislação, a pessoas indo ao Pronto Socorro podendo utilizar uma consulta eletiva mais barata, ou ainda a pessoas que não se tratam por não conseguirem comprar medicamentos, o que gera complicações clínicas e novas passagens em pronto socorro, com aumento de custos desnecessários no plano de saúde. Somente o RH poderá ter a ação global na tentativa de sairmos de um modelo de assistência à doença para um modelo de atenção à saúde com priorização da atenção primária e, portanto, preventiva.

Como implementar estratégias para conseguir a adesão dos colaboradores para o cuidado com a saúde, tendo como proposta a Gestão de Saúde Populacional?

O engajamento do beneficiário em programas de saúde é um desafio mundial. Os melhores resultados acontecem quando existem metas bem definidas e prêmios como algum ganho pessoal material, além da melhora da qualidade de vida. Sensibilizar o beneficiário para uma mudança de comportamento e hábitos é o desafio da nossa geração de gestores da saúde. Para implementar uma estratégia de Gestão de Saúde Populacional, acredito que o primeiro passo seja dispor de uma equipe médica ocupacional em linha com esses valores, o que significa no mínimo fazer consultas preventivas anuais em toda a população de empregados, já aproveitando para segmentar a população em graus de risco e consequentemente as necessidades de atenção à população exposta. O desenho do plano de saúde deve estar em linha com esses riscos e o produto oferecido alinhado com as necessidades dos beneficiários. Um dos pontos mais importantes de qualquer iniciativa é que o RH receba suporte de especialistas que contribuam no controle das informações e dos indicadores em busca do diagnóstico e do resultado do projeto. Mesmo sendo as empresas o gatilho das mudanças, ainda não há conhecimento suficiente na área de RH para organizar os passos, o que obriga as empresas a se apoiarem em instituições especializadas em Gestão de Saúde na tentativa de pavimentar esse caminho. Acredito que no médio e longo prazos as empresas darão preferência à contratação do benefício saúde para operadoras que tenham uma Gestão de Saúde aplicada de fato, mudando o atual modelo de regulação, controle de procedimentos e prestadores de saúde para um modelo de condução de saúde dos beneficiários ao longo de sua vida.